Let Me Try Again

Let Me Try Again

Skank em seus primórdios. Bela versão.

O Homem Que Sabia Demais

O Homem Que Sabia Demais

Nossa inserção em Vento Ventania, anunciávamos que uma banda nova estava chegando para arrebentar. Não somos videntes, mas sabíamos muito mais do que podíamos saber!

Chove Chuva

Chove Chuva

A música que cantava quando pequeno, a música que cantamos despretensiosamente num show em Ponta Grossa, a música que gravamos num programa de rádio e que virou um hit da noite pro dia.

Admirável Gado Novo

Admirável Gado Novo

Um arranjo especial para uma música atemporal de Zé Ramalho.

O Fim de Tudo

Leoni

Fiz backings nesta linda canção de Leoni e com a honra de cantar em uma faixa pontuada pelo acordeom de Dominguinhos

Ficha Técnica

Ficha Técnica

Ernani Pires Ferreira, o narrador do hipódromo do Rio de Janeiro foi indispensável para esta faixa maluca que encerra o disco

A Rima

O disco Agora ficou capenga ao terem tirado a primeira faixa A Rima. Ao invés de fazerem um acordo, dando parte dos direitos autorais à família de Carlos Drumond de Andrade, a Sony fez um acordo de empréstimo. Quando veio a renovação, ela pulou fora e achou melhor simplesmente descartar a música do disco. Ela começava com o volume bem baixo, para induzir o ouvinte a aumentar o som, e aí entrava a banda a todo vapor.

Sobrancelhas

A letra foi inspirada em situações ocorridas no pátio do colégio entre 1979 e 80. O medo de falar, o olhar enigmático, uma música de 4 minutos que conta a história de uma pequena fração de segundo.Uma espécie de “timidez” revisitada. O coro de vozes contou com Miguel e nosso roadie Marcinho Teixeira.

BRUNO GOUVEIA

Sobrancelhas – o cumprimento
original de Setembro de 92
Bruno Gouveia

Ao passar naquela tarde
por seu rosto conhecido
balançaste a cabeça
e um cumprimento muito rápido
com as suas sobrancelhas
despertou-me a atenção

Sobre os olhos esses pelos pareciam revelar segredos
Intenções que um gesto qualquer não faria notar.
mas de fato, o código era complexo
Perderia o seu sentido
se a cabeça não viesse
arco reflexo com os olhos

Ao passar naquela tarde por seus corop
Que insistiam em te levar pra algum lugar
Seus olhos me tocaram com um leve cumprimento de sobrancelhas
Um leve sorriso eu um movimento com a cabeça
Pendendo entre o “olá” e o “não olhe para mim”

E esse gesto poderia ser “alô”, “adeus” ,
“como tem passado”, “estou com saudade”….

Eu repeti, te imitei
Como se fosse um ritual de acasalamento
Mas qual, você seguiu seu rumo e eu segui o meu:
Meu corpo me levava para algum lugar,
que depois daquele cumprimento esqueci.

E por instantes não me lembro de ter visto a vida a minha frente
Piloto automático, segui pelo pátio, aguardando a próxima vez
em que eu pudesse vê-la.
O próximo encontro em que pudesse fazer algo mais
que um cumprimento de sobrancelhas.

versos de Birita

Palavras me desculpem, o silêncio é fundamental

De Joelhos

De Joelhos

Sempre achei que havia algo de Pink Floyd (The Wall) nesta música...

Tudo Muito Rápido

Tudo Muito Rápido

A boa letra de Sheik nos rendeu uma música feita em poucos minutos. Tudo muito rápido, mesmo. A música pintou de repente, já no começo da gravação do disco Agora. Começamos a levar um som e estava ficando tão legal que o técnico gravou. Da concepção até a gravação, com letra e tudo, não levou mais que trinta minutos!

Porque Você Não Estava Aqui

Porque Você Não Estava Aqui

Uma música que fala sobre saudade mas apenas cita a palavra duas vezes na letra. Fruto de nossas extensas viagens fazendo shows pelo Brasil, e de uma saudade enorme de minha namorada. Uma das preferidas do disco, segundo pesquisas feitas nos fã -clubes. Originalmente chamada de "Vontade", trocamos de nome para não confundir com a música de mesmo nome do Paulinho Moska.

Ilusão

Ilusão

Um tema de violão e letra de Birita. Leve e delicada, acabou depois tendo um arranjo mais pop nos shows. Marcos Suzano gravou a percussão e o resultado ficou super bonito.

Tempo Nublado

Tempo Nublado

"Telefone" foi o seu título durante um bom tempo.Fiz a primeira estrofe e muito tempo depois a concluí inspirado no término de um longo namoro que tive.Ela viajou para Recife e durante semanas nos falamos ao telefone umas cinco horas por dia . Muita coisa foi dita , quase nada se modificou. (Carlos Coelho)

Apoteose

Apoteose

Começamos trabalhando ela sobre uma base gravada de percussão árabe. Acabamos trocando por uma base gravada por Anjo, percussionista do Netinho. A letra, também chamada de "Praça da Apoteose" era uma colagem cujo ritmo das palavras funcionavam como um instrumento de percussão na música.

O Idiota Eletrônico

Um discurso sobre a tecnofobia, o medo da novidade, as mudanças que estamos passando, a perplexidade dos fatos, o choque do futuro. O arranjo foi mudado constantemente até a hora da mixagem. E vocal feminino é de Ivana Domênico debutando em disco e arrebentando nos vocais!

Oração do Idiota Eletrônico
(escrito no encarte do mix que foi para as rádios)

Nossa Senhora da Eletrônica
Protejei seus servos da escuridão
Não nos deixeis cair em blecaute
Agora e na hora de nossa morte save file

O Estrangeiro

O Estrangeiro

O Estrangeiro era para nós uma canção-editorial. Algo que traduzia os pensamentos principais do disco sem, no entanto, ser a faixa principal dele. Era isso que queríamos fazer com O Idiotra Eletrônico

Mais Preguiça

Mais Preguiça

Os dois arranjos que fizemos para a música ficaram tão legais que acabamos incluindo ambos no disco. Um foi gravado com a banda toda e outro apenas com o violão de Alvaro Birita e o pandeiro de Marcos Suzano. Preguiça foi escrita pensando na agradável sensação de se estar deitado no gramado, olhando o céu, vendo as nuvens, ... e mais algumas coisas!

Preguiça

Preguiça

O arranjo com a banda viajou em violas, samplers de voz e teclados com sons de flauta.

Devagar, Devagarinho

Devagar, devagarinho

Lançada em 1995, acabou se tornando um grande sucesso na voz de Martinho da Vila. Qualquer semelhança com a nossa música foi mera coincidência. Isso acontece...

Tá Delícia, Tá Gostoso

Tá Delícia Tá Gostoso

Este disco chegou à marca de um milhão de cópias. O detalhe é que boa parte dela foi conquistada com a venda de Los, em plena explosão do CD.

Melindrada

Melindrada

Uma canção sobre a eterna busca pela tradução do enigma que é uma mulher.

A Próxima Vez

A Próxima Vez

No disco Descivilização dedicamos uma música a Eric Nobrega, amigo nosso que havia morrido durante as gravações. Birita encontrou uma letra dele e resolveu musicá-la. Tambem chamada de "Tomara", chegamos a ter um arranjo com a banda toda, mas a versão mais intimista de Alvaro tocando violão é a que prevaleceu.

Extra! Extra!

Extra! Extra!

Miguel e eu fazemos o "instrumental" desta bem humorada faixa que apenas avisa, a quem comprou o Cd, que as próximas músicas são bonus tracks. O nosso narrador é Alex Levy, boy do escritório. E mais: tanto Lp, quanto k7 tem avisos para o ouvinte mudar de lado no final. No caso do CD, ao chegar na metade do disco, Alex Levy saúda os ouvintes ("bem vindos ao meio do disco!").

Ficha Técnica

Ficha Técnica

Para o Biquini Cavadão, escrever a Ficha Técnica sempre foi um prazer comparável à feitura do disco em si. Neste disco, alem de dar detalhes de toda a gravação no encarte, convidaram Ernani Pires Ferreira, locutor do Jockey Club do Rio de Janeiro alem de ser "o homem que fala mais rápido no mundo", segundo o livro dos recordes, para ler a extensa Ficha Técnica que escreveram. Ao fundo, eu e Walter Costa, tecnico de gravação, simulamos uma corrida de cavalos, alem de cantarem uma dessas músicas de cavalaria!

Stonewall Celebration Concert

Stonewall Celebration Concert

Este era o disco que Renato Russo estava gravando enquanto mixávamos o nosso disco Agora

videoclipe

O Melhor do Biquini Cavadão

image
Tal como prometido, este disco foi lançado pela Polygram na mesma época que o disco Agora, da Sony

REI

image
O tributo ao Rei Roberto Carlos está até hoje fora de catálogo

Ilegal, Imoral ou Engorda

Ilegal, Imoral ou Engorda/Get Smart

A Jovem Guarda nasceu em 1965. Nós, um ano depois. Só viemos a ter noção de sua importância anos depois. A escolha desta música era algo que casava com nossa situação: um clássico de jovem guarda em plena década de 70, na fase mais romântica do Rei.

Get Smart

Get Smart

Tema de abertura do Agente 86, um clássico da década de 80 satirizando James Bond.

Ilusão (versão Biritown)

Ilusão (Biritown)

Um arranjo com uma batida Motown para Ilusão. Uma tentativa de mudar os rumos do disco Agora.

Estados Unidos

image
Topo do Empire State Building com as torres gêmeas ao fundo. Seis anos depois, quem diria!
image
Eu e Philippe Seabra em 1995, durante a primeira tour do Biquini pelos Estados Unidos
image
Foto de turista em meio à tour americana do Biquini
image
Cartaz do primeiro show do Biquini nos EUA, na cidade de Newark, NJ, 1995.
image
Eu em Nova Iorque, 1995, durante a tour pelos Estados Unidos. Uma skyline que mudou muito depois de 2001.

X-Plora

A palavra de ordem na metade da década de 90 era CD-ROM. Um CD que podia ser rodado de seu computador apresentando informações enciclopédicas interativas. Peter Gabriel decidiu levar isso a um passo adiante. Seu CD X-plora permitia que você explorasse seu universo musical e até mixando suas faixas. Outros artistas começaram vislumbrar uma possibilidade de incluir uma faixa interativa junto como CD de áudio. Esse era o nosso plano para um futuro disco do Biquini Cavadão.

@lbum

Por incrível que pareça, este álbum, campeão de vendas do Barão Vermelho, até hoje não existe nas plataformas digitais.